segunda-feira, 30 de novembro de 2015


Envelhecer.


Você percebe que está ficando velha quando encontra um conhecido, este lhe deseja bom dia e pergunta educadamente se está tudo bem.
Habitualmente desejamos bom dia e respondemos tudo bem e você? E a pessoa responde tudo sim e ponto final.
Mas quando começamos envelhecer não há pontos finais, foi quando numa manhã nublada, minha vizinha fez a tal pergunta por educação: Bom dia, tudo bem?
- Bom dia! Tudo nada, uma gripe que peguei que Deus me livre, também com esse tempo maluco né? Quem sobrevive imune? Olha, vou te falar, o ser humano, que de humano está mais parecido com o capeta, enquanto não destruir o planeta todinho não vai sossegar. Aí não tem como aguentar, o corpo sente, sofre e adoece. E quando chega a conta da farmácia? Misericórdia! Aí sim é para matar qualquer um, porque eu não sei não viu, esse governo conseguiu acabar com tudo, a inflação está lá nas alturas.... O que que é isso? Pobre não pode mais ficar doente não, eita Brasil velho sem porteiras! E a senhora, que está achando do governo? Acha também que ela cai? Cai nada! O que cai é o padrão de vida dos brasileiros, né não?
E lá fiquei mais uns bons dez minutos dialogando meu monólogo com minha vizinha que passava apressada para seus afazeres, quando indelicadamente destrambelhei a falar sem parar minhas opiniões sobre minha realidade que não a interessava nem um pouco.
Então como um anjo minha filha surge a porta e diz: Mãe, você pode vir aqui um pouco?
Me despeço da minha gentil vizinha e vou toda inocente ver o que ele precisa, quando a mesma me espera na sala me fuzilando com os olhos e diz: "- Pô mãe, que sem noção você! Precisava falar aquele monte de asneira para a vizinha que só te desejou bom dia? Não escutei ela perguntar como vai a droga da sua vida?" e virou as costas e foi atender seu celular no quarto, enquanto eu gritava: -Olha aqui menina, não te criei sozinha com o bom e do melhor para você falar assim comigo não, que absurdo é esse? Te criei sozinha, sabia? Seu pai era visita, isso mesmo VI SI TA! Eu ali todos os dias, na alegria e tristeza, com saúde ou com febre, nas notas altas e baixas do colégio, nas festas de final de ano, quando você ganhou sua primeira medalha, não foi ninguém não, foi eu! Mas hoje em dia ninguém reconhece mais nada não, olha... O ser humano, vou te falar, o ser humano é o bicho mais egoísta que existe porque...
- Mãeeeee, eu tô no telefone, fala mais baixo!
............
- Puta que pariu! Não é que estou ficando uma velha e coroca mesmo! Vou fazer uma caminhada que eu ganho mais e juro por Deus não falar com mais ninguém, nem bom dia vou dar! Melhor ser chamada de antipática que de velha! Fui.




(Mariana Lima de Almeida).

Os dias.

O mundo desaba lentamente sob meus pés
Notícias ruins, natureza em fúria, violência
Brigamos arduamente por nossos ideais
Morremos de sede, sedentos por justiça
Morremos de fome, famintos por ternura
Morremos de dor, feridos pelo desamor
O mundo desaba lentamente sob meus pés
Meus pés estão feridos e sangram
E eu preciso correr, correr mais
Sede, fome, violência e dor
E eu preciso vencer todo meu temor
E eu preciso correr e correr mais
Ajudar meus irmãos caídos no chão
Certa de que vou conseguir chegar
Onde todos dizem estar.
Estão?


(30/11/2015).

Peixe

Mundo, mundo tão pequeno
Menor ainda é o mundo virtual
Postou na rede
Agora já era
É peixe!...
E vamos todos degustar.



(Mariana Lima de Almeida).