quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Ano novo, novo amor?



Todo Dezembro traz aquela sensação de um certo alívio, missão cumprida, finalidade, o que foi já foi e não há mais o que fazer, adeus, ja era. E a esperança no ano novo que virá, tempo novo que virá, renascimento de velhos desejos. Por isso, o reveillon é aquele momento tão especial e cheio de sonhos, a esperança de que desta vez algo bom se realizará, o medo desaparecerá, a grana vai pintar, a dor cessará, o amor aparecerá, sabe aquele amor? Aquela paixão deliciosa? Sim! Aquela paixão onde nosso hino será nossa risada, nosso beijo será quente, doce e perfeito, nossa visão de mundo próxima e voltada para o mesmo horizonte, nosso silêncio será de cumplicidade e não de mal estar, aquele olhar repleto de signos e significados... Quem está sozinho pode estar muito bem, cheio de projetos e demais prazeres, mas quem resistiria a esse amor? Como negar o encontro que mudaria nosso rumo? Está bem, você pode não estar interessado, fugir do amor como quem foge da polícia, você pode ter uma vida perfeita livre e sozinho, você pode até adorar sua militante rotina, mas quando distraidamente tropeçar em um par de olhos que gelará sua espinha, te causará pensamentos confusos e desconexos, desculpe meu caro, eu não deveria, mas vou te notificar: Você encontrou o amor e só tem duas opções : A primeira é desviar os olhos, olhar para o relógio ou celular, fingir ler um jornal ou mesmo correr para um banheiro próximo e lá se enfiar até o resto da vida. Já a segunda é não desviar o olhar, isso mesmo, não desvie o olhar, encare e enfrente, vença o medo uma vez e seja feliz pela primeira vez na sua vida!
Esse único momento pode durar somente alguns momentos, alguns instantes, alguns infinitos... pode durar o suficiente para que toda essa história até aqui tenha valido a pena. O resto? O depois? Quem saberá se você não encarar para ver? 👀



(Mariana Lima de Almeida).

Nenhum comentário:

Postar um comentário