quarta-feira, 27 de abril de 2016

Daqui agora.

Só me interessa o daqui agora
Não mais o que já foi embora
Deixando apenas vultos e sobras
Um legado de horas mortas
Silêncios abafados na porta
Tanta ausência e palavras mortas
Do que foi festa somente na hora.
Que entre agora por essa porta
E fique registrado na memória
Só o daqui agora, adiante, lá fora
Na nova vida plena de auroras.



(Mariana L. de Almeida)

Nenhum comentário:

Postar um comentário