sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Fênix.


Provocações, nem ligo!
Como Fênix que sou
Sei morrer e renascer
 Quantas vezes preciso for!
Como Fênix que sou
Sei amar e reamar
Quantas vezes preciso flor!
Do amor conheço suas podas
Sei me cortar inteira
Para florir novamente
Aprendi com o tempo
O segredo das quatro estações.



(Mariana L. de Almeida)

Nenhum comentário:

Postar um comentário