quarta-feira, 19 de outubro de 2016

A verdade aparece.

Cedo ou tarde a verdade aparece
Cedo ou tarde ela te assalta
Num meio dia no meio da sala
Entre tantas notícias e bobagens.

No meio do quase nada
Entre estúpidas flores amarelas
A verdade emerge e te enlaça
Inútil resistir ou fugir dela
Inútil retê-la.

Ela tem vontade própria
Como um escorpião acuado
Aguarda à sombra
Silenciosa e imóvel
À hora exata do bote.

Ela morde e suga
Seu sangue falso
Que rouba a alegria
E mata a vida de quem vive.

(Mariana Lima de Almeida).









Nenhum comentário:

Postar um comentário