quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Da dor de ser mulher.

Eu fui mulher um dia, eu sei
Eu fui amada um dia, eu sei
Eu gerei a vida, rompi o dia
Pari novos filhos
Para essa Pátria triste
Fervi a água, coei os dias
Esquentei o leite
Reinventei o pão
Troquei as camas
E refiz a canção
Mas o sono dos justos
Eu não tive não
Mal me deitava
E o dia já raiava
Clamando suas injustiças
Batendo em retirada
Batendo em minha cara
Recolhendo toda poesia
Que distraidamente
Entre as roupas limpas
Eu estendia no varal
Que secava nossa vida.



Nenhum comentário:

Postar um comentário