terça-feira, 7 de março de 2017

Mataram. ( #Poesiapraguerra )


Mataram Maria no ponto de ônibus

Mataram Clarice indo para a missa

Mataram Cristina na porta da escola

Mataram Lourdes saindo do trabalho

Mataram Clara naquele beco escuro

Mataram Sonia na esquina de casa

Mataram Ana depois de a estuprarem

Mataram Cinthia por pura vingança

Mataram uma mãe

Mataram uma filha

Mataram uma amiga

Mataram uma mulher

Mataram uma família

Os motivos?

São sempre os mesmos...

João, Pedro, Antônio, Carlos, Moacyr e outros

Não aceitaram o fim dos seus relacionamentos

Abusivos e repletos de violência

O qual eles chamavam de amor

João ainda justificou que foi preciso lavar sua honra,

Pedro disse que ela mereceu,

Antônio chamou a mãe dos seus seis filhos de puta,

Carlos disse que são todas vagabundas,

E Moacyr jura que mulher direita só existiu uma

Hoje respondem por processos

Apenas processos para explicarem

E finalmente provarem porque

Tiveram razão de matar tantas mulheres

Do nosso pobre país amaldiçoado

Pela pobreza, ignorância e violência

Onde exterminam mulheres e meninas

Vítimas dessa epidemia maldita

Conhecida como machismo,

Misoginia e Feminicídio.


 (Mariana de Almeida)

Imagem: Protesto em Florianópolis-SC contra o assassinato de mulheres.


Nenhum comentário:

Postar um comentário