segunda-feira, 12 de junho de 2017

Sobre o amor.

Não se ama o que não se admira, o que não nos motiva, o que não nos move, o que não nos emociona e nem o que nos paralisa, estagna e enguiça no mesmo lugar.
O amor é poder! Poder de transformar, de melhorar, de encorajar, de lutar, de vencer, de guerrear e de fazer acontecer!
Pedras no caminho? Sim, são muitas! Medos, receios, contratempos, falsos amigos, invejosos, família, política, sistema, grana.... É preciso muita sanidade mental para enfrentar com sabedoria e destreza toda essa correnteza contra nós, é preciso saber nadar contra a maré sem se deixar afogar por ela, é preciso treino, fôlego, pausas, choros, café, solidão e colo.
Cada um de nós traz bagagens pesadas e difíceis demais para carregar e é preciso muita coragem ao abri-las para o outro ver o que há dentro delas. Nem sempre se admira o que carregamos arduamente em nossas bagagens, algumas cheiram mal, outras são carregadas de pedras e outras vazias demais. Mas dividi-las com quem se ama e está disposto a nos ajudar, pode ser, no mínimo, acolhedor e reconfortante.
Amar não é somente sentir febre e paixão pela companhia e pele da outra pessoa, é preciso pisar descalço em seus solos vulneráveis, ser cúmplice para semear possíveis frutos dessa comunhão que só germina com afetos regados a respeito, carinho e pedidos de desculpas, se preciso for.
No amor não há certo e errado, há diálogo e evolução, há respeito e amizade, há desejo e paixão e há silêncio e retidão. Há os dias de sol e os dias nublados, há noites de lua cheia e noites escuras, e ainda há as noites com sol.
O amor é isso tudo, somado a dor, contas a pagar, boletos vencidos, filho doente, cachorro endiabrado, cama boa mas colchão ruim, pizza fria, bolo quente, café quente, chá gelado, chocolate branco e dark num só paladar chamado Vida.

(Mariana de Almeida)

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário