sexta-feira, 30 de junho de 2017

Vem

Vem, vem devagar, como quem chega para ficar
Vem, vem devagar, como chegam os primeiros raios de sol
Devagar e inteiro, que aquece aos poucos e não esfria jamais
Vem, vem como um bom amigo, de peito aberto e olhos de amor
Vem inteiro, vem com o seu melhor, vem só com o seu melhor
Deixa o resto para os dias ruins que insistem lá fora
Vem anoitecer comigo como só os amantes sabem fazer
Deixa a noite levar embora o nosso resto de dor...
Vamos jantar no alto da torre e ver a cidade nua
Vamos brindar e dançar sob a lua os nossos poemas
Venceremos a morte no meio da noite
Sob lençóis de seda azul céu turquesa
Nossa pele, nosso brilho, nossos melhores perfumes
Luxúria às vezes cai bem quando desejamos demais
Nada de menos, só de mais, mais e mais...
Vem, nem tão devagar assim, me amar é urgente!
Esperar é para poucos, não para mim, eu não nego
Esperar é para os fracos que aceitam pouco
Esperar é esfriar a loucura da minha pele.

(Mariana de Almeida)

Nenhum comentário:

Postar um comentário